Cuiabá, 20 de Setembro de 2017

Notícias - Economia

Aberta fábrica que filtra CO2 e purifica ar do efeito estufa

Fonte: Com informações Hypesciense e NewAtlas.

A Climerworks abriu a primeira planta de captura de CO2 numa instalação de recuperação de resíduos em Zurique, Suíça - Foto: Julia Dunlop

A fábrica que filtra de CO2 e purifica o gás do efeito estufa existe e está instalada em Zurique, na Suíça.

A tecnologia foi desenvolvida pela empresa Climeworks.

Nela, filtros gigantes retiram o CO2 do ar.

Ao mesmo tempo, a fábrica produz combustível, e usa o CO2 limpo para o cultivo de plantas.

Tudo isso e ainda combate o aquecimento global.

Como 

A instalação bombeia o gás para o ar, depositando-o quimicamente na superfície de um filtro.

Quando o filtro está completamente cheio, é aquecido a cerca de 100° C para isolar o CO2, que pode então ser purificado e vendido.

Filtro de CO2 - Foto: Julia Dunlop

Filtro de CO2 – Foto: Julia Dunlop

Efeito estufa
No ano passado, quase 200 países assinaram o Acordo de Paris, se comprometendo a reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

A missão é evitar que as temperaturas globais aumentem mais de 2° C acima dos níveis pré-industriais antes do final do século.

Mas não basta reduzir as emissões para atingir essa meta.

São necessárias novas tecnologias que extraem CO2 da atmosfera.

Cultivo de vegetais

A Climeworks chamou a fábrica  de “Direct Air Capture” – DAC.

Na planta DAC atual, o CO2 puro é canalizado para uma estufa a 400 metros de distância, onde é usado para cultivar vegetais.

No entanto, a empresa afirmou que o gás também pode ser utilizado para uma variedade de outras aplicações industriais, como criar combustíveis neutros ou bebidas carbonatadas.

Christoph Gebald (à esquerda) e Jan Wurzbacher (à direita), co-fundadores da Climeworks -Foto: Julia Dunlop

Christoph Gebald (à esquerda) e Jan Wurzbacher (à direita), co-fundadores da Climeworks -Foto: Julia Dunlop

Futuro

Para torná-la o mais eficiente possível, a planta DAC é alimentada pelo excesso de calor da instalação abaixo.

Por enquanto, o sistema pode capturar até 900 toneladas de CO2 por ano.

A fábrica vai funcionar como um projeto piloto por três anos.

“Tecnologias de emissões negativas altamente escaláveis são cruciais se quisermos ficar abaixo do alvo de dois graus da comunidade internacional”, disse Christoph Gebald, cofundador e diretor-gerente da Climeworks.

“Trabalhamos arduamente para atingir o objetivo de filtrar 1% das emissões globais de CO2 até 2025. Para isso, estimamos que serão necessárias 250 mil plantas DAC como essas”.

Veja como funciona o sistema:

Com informações Hypesciense e NewAtlas.