Cuiabá, 18 de Setembro de 2019

Notícias - Variedades

Alunos desenvolvem protótipo para cegos e vencem Arduino Day Brasil

Por: Pela Redação
Fonte: RD NEWS

Este é o segundo ano consecutivo que a escola ocupa a primeira colocação na competição Arduino Day Brasil, que acontece todo ano pelo mundo

Um aparelho próprio para dar independência de cegos ao praticar esportes. Com um sistema composto por sensores de vibração e de corpo, protoboard, Arduino Nano, vários jumpers e bateria, ele pode funcionar a partir de uma programação que detecta a cor da pista de corrida e quando o atleta sai da zona de cor. Nestes casos, o aparelho vibra para o lado que ele deve retornar. Incrível, alguns diriam, e realmente podem dizer. Porque ele já existe e se chama Blind Cooper.

O dispositivo foi criado por adolescentes cuiabanos do ensino médio que venceram, com esse protótipo, a premiação Arduino Day Brasil 2019. Além de alunos de escolas públicas e privadas, eles competiram com universitários. Todo material para a criação do protótipo foi ofertado pela escola. 

O Blind Cooper é capaz de auxiliar especificamente na corrida e caminhada dos atletas cegos. E os pequenos grandes cientistas competiram com outros do ensino médio e universitários. Em tempo recorde, 15 dias incansáveis de trabalho e se comercializado poderá custar em torno de R$ 300. 

Como o projeto aconteceu e como o protótipo funciona

Enquanto estudavam uma forma de trabalhar a inclusão e de que maneira isso seria viável e acessível, dentro de uma sala nomeada Sala Tech, que é um espaço voltado para a aprendizagem criativa que mistura a robótica com o movimento maker, o equipamento nomeado “Blind Cooper” foi elogiado, mas recebeu críticas construtivas. 

Muito trabalho, dedicação e principalmente compromisso por parte desses alunos

Mara Tereza

Criadores do protótipo,  João Pedro Garcia, Luiza C. Sperandio, Yasmin Laureen Antunes, Maria Antônia Gomes e Danilo Alves, de 13 e 14 anos, já levam a fama cientistas. Isso também porque, desta vez, não receberam ajuda de professores ou de outros profissionais, trabalharam sozinhos.

A coordenadora da Sala Tech, Mara Tereza dos Santos, conta que foram dias intensos e que os alunos mereceram a primeira colocação. “Tiveram pouco tempo até a competição. Muito trabalho, dedicação e principalmente compromisso por parte desses alunos. Eles mereceram essa vitória. Eu e toda a escola estamos muito felizes e orgulhosos dos nossos alunos”, comemorou.  

Foto divulgação

O aparelho � pr�prio para dar independ�ncia de cegos ao praticar esportes

Aparelho desenvolvido visa dar independência para que cegos pratiquem esportes

Já o aluno João Pedro conta que, para entender melhor a vida de um deficiente visual e desenvolver o aparelho, eles precisaram visitar o Instituto dos Cegos do Estado de Mato Grosso (Icemat). “Estávamos conversando sobre como poderíamos ajudar alguém e chegamos na dúvida de como o deficiente visual pratica um esporte. Daí surgiu a ideia do atletismo e fomos visitar o Instituto. Conversamos também com um atleta cego que estava lá e isso nos ajudou muito".

Pela segunda vez levaram o título

Este é o segundo ano consecutivo que a escola ocupa a primeira colocação na competição. Em 2018, a equipe de alunos desenvolveu um rastreador solar que garante um melhor aproveitamento da luz do sol em até 40%, favorecendo a produção de energia de forma sustentável.

O equipamento segue o movimento do sol e a localização do país na linha equatorial. E, por isso, usar essa fonte de energia se torna viável e essencial. O “Arduino Day” é um evento de tecnologia que ocorre simultaneamente em diversas cidades do mundo em celebração ao aniversário da plataforma Arduino, um programa de prototipagem eletrônica que permite o desenvolvimento e controle de sistemas interativos. Ele reúne pessoas interessadas em apresentar ideias, projetos desenvolvidos na plataforma para compartilhar informações e experiências.

por: Mirella Duarte