Cuiabá, 19 de Agosto de 2019

Notícias - Variedades

Conheça a escola que trocou o Dia dos Pais pelo "Dia do Quem Cuida de Mim"

Por: Pela Redação
Fonte: razoesparaacreditar.com

Visando acolher todos os tipos de casais e configurações familiares, além de levantar uma discussão sobre o abandono parental, uma escola pública de São Paulo criou o ‘Dia de Quem Cuida de Mim’, em substituição ao ‘Dia dos Pais’.

A iniciativa busca pregar o respeito e solidariedade na comunidade de pais e professores, e evitar constrangimentos em uma data delicada para tantas pessoas.

O ‘Dia de Quem Cuida de Mim’ foi criada pela Escola Estadual Professor Alvino Bittencourt em 2015, quando o diretor, Denys Munhoz, notou a tristeza de alguns alunos que não tinham o que entregar na semana do Dia das Mães.

A ideia se destaca pela simplicidade, pois não busca realizar mudanças profundas nesta data. Os estudantes, de fato, são estimulados a celebrar e homenagear homens e mulheres que fazem parte de suas vidas.

escola trocou Dia dos Pais Dia do Quem Cuida de Mim

A medida também reconhece todas as configurações e núcleos familiares. Ponto positivo para os cerca de 400 alunos entre 6 e 10 anos da escola.

“A iniciativa é fantástica. Tem muitos alunos que os pais têm uma rotina corrida e ficam com avós e tios. Os pais trabalham bastante e essa ideia de privilegiar quem cuida das crianças faz as crianças se sentirem acolhidas e cuidadas”, cita Eduardo Alves da Costa, pai do Allan, do 5º ano na unidade, ao portal do governo de São Paulo.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o abandono parental está crescendo em nosso país. Existem hoje pelo menos 1 milhão de mães solteiras espalhadas.

O governo paulista afirma que 750 mil pessoas de 0 a 30 anos não contam com o nome do pai no registro de nascimento.

escola trocou Dia dos Pais Dia do Quem Cuida de Mim

O Estatuto das Famílias (PLS 470/2013) prevê punições para o abandono parental e o afetivo. A ideia é estabelecer relações saudáveis entre pais e filhos. “Para o Direito, o afeto não se traduz apenas como um sentimento, mas principalmente como dever de cuidado, atenção, educação, entre outros”, declarou ao Senado Notícias a senadora Lídice da Mata (PSB-BA), uma das criadoras do projeto.

 

Fonte: Hypeness/Fotos: Reprodução/Hypeness